Parada, indefinição e clima de tristeza: os motivos da queda tricolor para Bosco

Goleiro também promete se empenhar mais na comunicação em campo

Ampliar Foto Wander Roberto/VIPCOMM Wander Roberto/VIPCOMM

Bosco lamenta clima triste sem Ceni e Rodrigo

Desde o último domingo, quando o São Paulo foi derrotado pelo Fluminense por 1 a 0, no Maracanã, pelo Brasileiro , os jogadores tentam explicar o motivo de o time paulista ter perdido quatro dos últimos cinco jogos e não conseguir jogar um bom futebol. Para Arouca, é preciso ter mais comunicação e liberdade em campo. Junior Cesar e Miranda afirmam que só os atletas podem acabar com a fase ruim. Bosco também tirou suas conclusões sobre o assunto e levantou três problemas: o período de duas semanas sem jogos, a indefinição sobre o jogo das oitavas, que só acabou na última segunda-feira, e o clima de tristeza que tomou conta do elenco pelos problemas clínicos de nomes como Rogério Ceni e Rodrigo.

O camisa 22 revelou que o longo tempo sem jogar é bom para trabalhar, mas quando se sabe contra quem vai jogar. No caso do São Paulo, desde que o time passou às oitavas da Libertadores, surgiu a indefinição se a partida contra o Chivas seria no México, por causa do surto da nova gripe que assolou o pais. Colômbia e Chile não quiseram receber o duelo e até um jogo único no Morumbi foi marcado pela Conmebol, mas os mexicanos se retiraram da competição e o São Paulo se classificou automaticamente às quartas.

– Essa parada foi ruim, pois treinamos para pegar um adversário que nunca vinha. A indefinição sobre o caso do México gerou ansiedade no grupo, desconforto. Não sabia que rival estudar, como eu devia me preparar. Nessa semana agora pudemos pensar só no Atlético-PR , nosso jogo deste domingo – explicou o goleiro.

Outra questão que abalou o grupo foi causada pelos problemas de Rogério Ceni e Rodrigo. O primeiro, após fratura no tornozelo esquerdo e operação, ficará até seis meses longe do time. O segundo sofreu uma embolia pulmonar e não pode jogar pelos próximos três meses pelo menos.

– O Rogério já faz muita falta por ser um líder dentro e fora de campo, além de um grande jogador. Não conviver com ele também é ruim. E o Rodrigo poderia não estar mais conosco, foi algo grave. Tudo isso traz tristeza ao grupo, dá uma baqueada. Aqui temos um ambiente de família e sentimos estes problemas – acrescentou.

Bosco também ficou atento ao que Arouca disse sobre a comunicação em campo, muito forte no caso de Ceni, que é o capitão. O camisa 22 pretende melhorar neste sentido.

– Um goleiro tem que orientar porque vê o jogo de frente, mais do que os outros, e com certeza está faltando esta comunicação. Vou começar por mim, quero orientar mais, incentivar e vibrar com os companheiros.

Presença de Rogério Ceni no CT reforça desejo de título da Taça Libertadores

Arouca diz que ambição do capitão por troféu continental motiva o grupo

Em recuperação após operar uma fratura no tornozelo esquerdo, Rogério Ceni começou a trabalhar no Reffis no início desta semana. Voltou a conviver com o elenco e já afirmou que seis jogos separam o São Paulo do título da Libertadores , pois o clube está nas quartas de final da competição. Em um momento em que o time não joga um bom futebol, ter o apoio e a presença do capitão é reconfortante, pois ele representa a busca pelo título, explicou Arouca.

– Ter o o Rogério por perto, no CT, ajuda bastante, é muito importante e nos motiva, pois sabemos que ele queria muito estar nesta competição. Estamos tristes pelo que aconteceu com ele. Não tenho palavras para descrever o que ele representa para o nosso grupo – ressaltou o volante.

Ceni tem um prazo inicial de seis meses para se recuperar. Mas pode voltar antes deste período. No entanto, ele não jogará mais a Libertadores, que termina em julho. O São Paulo espera o resultado da disputa entre Cruzeiro e Universidad do Chile, nesta quinta-feira, para saber quem enfrenta nas quartas. O time mineiro venceu o primeiro jogo por 2 a 1 e decide a vaga no Mineirão.

FOTO: Ceni tira pontos e anima médicos

Goleiro esteve no CT e deve poder pisar no chão já na próxima semana

Divulgação/Site Oficial do São Paulo

Ainda sem poder pisar no chão, Rogério Ceni segue trabalhando em casa, mas esteve no CT da Barra Funda no último sábado para tirar os pontos da cirurgia no tornozelo esquerdo, após fraturar o local. Os médicos do São Paulo comemoraram o andamento da recuperação do goleiro, e esperam que ele possa tocar o pé esquerdo no solo a partir da próxima semana para então começar a trabalhar no Reffis. As informações são do site oficial do clube.

Goleiro Bosco lamenta longo intervalo sem partidas

Substituto de Rogério Ceni afirma que precisa ganhar ritmo de jogo

Ampliar Foto Gaspar Nóbrega/VIPCOMM Gaspar Nóbrega/VIPCOMM

Bosco tem a missão de substituir o ídolo são-paulino Rogério Ceni

Ter um período de duas semanas livre para treinar a equipe é o sonho de qualquer treinador. Mas no São Paulo, o longo período sem jogos tem um ‘opositor’. Substituto de Rogério Ceni, afastado após uma cirurgia no tornozelo, o goleiro Bosco gostaria de estar disputando partidas oficiais e não apenas treinando.

– Como estou jogando há apenas algumas partidas, seria melhor que tivesse confronto nesse período, pois o que mais preciso neste momento é de ritmo de jogo – disse o goleiro ao site oficial do clube.


O São Paulo voltará a campo em 6 ou 7 de maio, na primeira partida das oitavas-de-final da Libertadores, contra adversário ainda a ser definido.

Titular nos últimos três jogos da equipe, Bosco pretende fazer trabalhos direcionados à próxima fase da competição continental.

– Tenho certeza que o Muricy vai trabalhar muito a parte técnica e tática e fazer trabalhos de posse de bola, passes e finalização. Dá pra trabalhar todas as áreas nesses dias. Vamos aproveitar também para fazer treinos específicos para a Libertadores – afirmou.

Rogério Ceni desfalca o Tricolor por duas semanas. E fica fora contra o Corinthians

Goleiro vai trabalhar para voltar na estreia do São Paulo na Taça Libertadores, no próximo dia 18

Depois de passar por um exame de ressonância magnética nesta quinta-feira, o goleiro Rogério Ceni recebeu o tempo estimado para poder voltar a atuar pelo São Paulo: aproximadamente duas semanas.

A expectativa é de que o ídolo são-paulino esteja pronto para jogar na estreia do time na Taça Libertadores, contra o Indepediente (Colômbia), no Morumbi, no próximo dia 18.

Dessa forma, o goleiro deverá desfalcar o time nos próximos três jogos da equipe no Campeonato Paulista: Botafogo-SP (neste domingo), Ponte Preta (dia 12) e o clássico contra o Corinthians (15).

O goleiro voltou a sentir dores na coxa direita ainda no primeiro tempo do jogo entre São Paulo e Bragantino, quarta-feira, e precisou ser substituído. Mas o edema não é no músculo posterior, como na primeira lesão, sentida na partida diante da Portuguesa, no último dia 24. Mas em local próximo. As informações são da assessoria do Tricolor Paulista.

Ceni começou o trabalho de fisioterapia na manhã desta quinta-feira e vai trabalhar em dois períodos diariamente até se recuperar.



  • PROMOÇÃO

  • Produtos do SP

  • CLIQUE NOS CANAIS E VEJA TV AO VIVO






  • USUÁRIOS ONLINE

    • 1.403.260 acessos
  • Blogs & Sites parceiros