Borges reclama de falta de reconhecimento no Tricolor

Atacante afirma que ‘cansa’ tem que provar competência ano a ano. E lembra que time foi campeão sem Washington

Um dos destaques do São Paulo no último Campeonato Brasileiro, o atacante Borges deixa escapar irritação com o fato de precisar disputar posição no ataque tricolor. Após o jogo contra o Bragantino, na noite desta quarta-feira, em que foi substituído no segundo tempo por Dagoberto, o atacante disse estar cansado de ainda ter que provar a sua capacidade e lamenta o que considera falta de reconhecimento no clube.

– Acho que não tenho que provar mais nada. Em 2007, fui artilheiro da equipe. Em 2008, fui artilheiro da equipe. Vai ano e vem ano e ainda tenho que ficar provando. Isso até cansa. Se for artilheiro de novo este ano, ano que vem chega outro atacante e vou ter que provar de novo que posso jogar – afirmou em entrevista à “Rádio Jovem Pan”.

E até indicou que teria mais reconhecimento se atuasse em outro clube.

– Fico um pouco triste porque o reconhecimento sempre demora. Vários jogadores já me disseram que se eu fizesse em outro clube o que fiz no São Paulo, seria idolatrado – disse.

Diante do fato de Washington ter conquistado uma vaga de titular no início da temporada, Borges reconheceu que o companheiro iniciou bem o ano. Mas lembrou que o time foi campeão sem o ex-atacante do Fluminense.

– O São Paulo tem uma equipe que foi campeã e não tinha Washington. Era Dagoberto e Borges e merecemos mais respeito. Sempre que precisou, a gente apareceu. Lógico que ele começou bem, fazendo gol, mas o Dagoberto e o Borges vão brigar pela posição.

Sobre o rodízio adotado pelo treinador Muricy Ramalho neste início de temporada, Borges disse que gostaria de ter uma sequência de jogos. E admitiu até pedir ao treinador para ser escalado.

– Atacante precisa estar jogando. A melhor preparação para um jogador é estar em campo. Eu trabalho para ganhar uma sequência. O Muricy diz que o atleta não tem que falar muito, mas se puder, vou pedir para jogar.

Questionado sobre as declarações de Borges, Muricy Ramalho lembrou que a decisão sobre quem vai ser titular é sua responsabilidade.

– Ele tem que entender e respeitar. De resto, é um país livre e democrático. Se ele entende e respeita, o resto eu decido. Se ele joga ou não joga.

Bosco e Borges participam de treino e devem enfrentar o Guarani, nesta quarta

Goleiro só não entrou contra a Portuguesa porque sentiu dores musculares

O São Paulo deverá ter o reforço de dois jogadores para o duelo com o Guarani, nesta quarta-feira, em Campinas. Bosco e Borges, que não foram para o jogo contra a Portuguesa , no último domingo, no Canindé, treinaram normalmente nesta segunda-feira, mostrando que estão prontos para entrar na equipe, se for a vontade do técnico Muricy Ramalho.

O treinador, aliás, observou o desempenho dos dois, que participaram de um recreativo em campo reduzido, no CT da Barra Funda, para os atletas que não atuaram 90 minutos ou não jogaram no Canindé. Bosco não concentrou com o grupo por causa de dores na panturrilha. Rogério Ceni se machucou durante o jogo contra a Lusa, e Denis fez a estreia pelo Tricolor. Ceni segue fora diante do Bugre, e com isso Bosco deve ser confirmado como titular.

– O Bosco teve um trauma direto na panturrilha direita. Fez tratamento intensivo e treinou bem hoje. Se não houver nenhum imprevisto, ele estará à disposição para quarta – explicou o médico do São Paulo, José Sanchez.

Borges estava relacionado para a partida do último domingo e faria dupla com Washington, mas sofreu uma indisposição estomacal e foi cortado. Dagoberto, que havia sido liberado da concentração, voltou e foi para o banco, entrando no decorrer da partida.

Borges evita falar em renovação de contrato e só pensa na Libertadores

Atacante do São Paulo afirma que não está preocupado em acertar novo vínculo com o clube logo e prefere se focar em torneio continental

Artilheiro do São Paulo nas duas últimas temporadas, o atacante Borges ainda curte férias após a conquista do Campeonato Brasileiro. Com contrato com o Tricolor Paulista até o fim deste ano, ele afirma que não está preocupado em acertar um novo vínculo logo e prefere se concentrar na disputa da Libertadores.

– Estou feliz no São Paulo e só penso na Libertadores. Vamos deixar as coisas acontecerem. E acredito que não vamos ter problemas para resolver o que vai acontecer – afirmou o atacante, em entrevista à Rádio Record.

Há dois anos no São Paulo, Borges teve de superar a vinda de Adriano na temporada passada e reconquistar seu espaço na equipe. Embora muitas vezes tenha sido preterido, o atacante soube esperar uma nova oportunidade de se firmar na equipe, fato que é constantemente exaltado pelo presidente Juvenal Juvêncio.

– Fico grato ao presidente, que sempre me deu força e elogia o meu futebol. Ele sempre diz que eu não vou ser emprestado, mas sim vendido. Isso me dá confiança – comentou Borges.

Números de Borges são de jogador de decisão

Nos últimos cinco jogos do Nacional, atacante do São Paulo fez sete gols

Nenhum jogador do São Paulo apareceu mais do que Borges na reta final do Brasileirão. O atacante marcou sete gols em quatro dos últimos cinco jogos – Internacional, Portuguesa (3), Figueirense (2) e Fluminense. O camisa 17 é a maior esperança de gols para a decisão contra o Goiás, domingo, no Bezerrão. E sabe que vive um bom momento.

– Os números já falam, não é?! Não vou fazer propaganda. Mas independentemente de tudo isso eu tenho que seguir ajudando o time, fazendo os gols ou não – disse o atacante.

Borges é o artilheiro são-paulino no ano, com 25 gols. Se fizer mais um, chegará exatamente ao dobro da marca de 2007, ano em que chegou ao Morumbi. Em sua primeira temporada no Tricolor, marcou 13 vezes.

Borges afirma que trocaria artilharia pelo título

Atacante quer coroar o ‘difícil’ ano de 2008 com o Hexa no Brasileirão

A poucos dias da partida contra ao Goiás, que pode dar o hexacampeonato brasileiro ao São Paulo, o atacante Borges resume a determinação do elenco paulista em buscar o título. Mesmo sendo o artilheiro da equipe na competição, com 15 gols, o jogador garante que abriria mão de todos os tentos marcados até aqui para levantar o troféu de campeão.

– Pra ser sincero, abro mão dos gols pelo título. É só isso que passa pela minha cabeça. É a coroação do trabalho difícil desse ano e marca a carreira e o currículo de qualquer jogador. Independentemente de quem faça o gol, o que importa é ser campeão – afirmou Borges.

O Tricolor lidera a competição, com 72 pontos, e precisa de apenas um empate no Bezerrão para confirmar sua sexta conquista. A festa poderia ter ocorrido na partida contra o Fluminense, no Morumbi, mas o Sampa empatou por 1 a 1 com os cariocas (Borges marcou o gol de empate) e deixou a decisão para a derradeira rodada. Nada, porém, que desanime o camisa 17.

– Não conseguimos o título no domingo, mas estamos três pontos na frente e só dependemos da gente. Sabemos que o empate é nosso, mas vamos dar nosso melhor – afirmou.



  • PROMOÇÃO

  • Produtos do SP

  • CLIQUE NOS CANAIS E VEJA TV AO VIVO






  • USUÁRIOS ONLINE

    • 1.403.260 acessos
  • Blogs & Sites parceiros