Com um a menos e em jogo ‘gelado’, São Paulo fica no zero com o Avaí

Time catarinense só não fica na zona de rebaixamento porque Atlético-GO foi derrotado. Tricolor já enfrenta jejum de três jogos sem vencer

A noite de sábado oferece muitas opções de entretenimento. Em Florianópolis, o futebol foi uma delas, mas não deu tanta satisfação ao espectador quanto uma sessão de cinema ou teatro, por exemplo. Neste sábado, quem escolheu ir à Ressacada não se deu bem. Passando muito frio e jogando com pouca qualidade, Avaí e São Paulo ficaram no 0 a 0 e pouco evoluíram na tabela após a 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em partida fraca tecnicamente, as duas equipes tiveram algumas chances, mas sequer levaram perigo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Após o jogo, iniciado às 21h, o Avaí foi a 29 pontos e se manteve fora da zona de rebaixamento, também beneficiado pela vitória do Atlético-MG sobre o Atlético-GO, por 3 a 2. Já o São Paulo se mantém na zona intermediária, com 35 pontos, e já está há três partidas sem vencer – conquistou apenas um ponto dos últimos nove disputados.

Só dá Leão

O Avaí teve um primeiro tempo muito mais equilibrado e só não chegou ao gol por erros nas finalizações e defesas de Rogério Ceni. Edson dos Santos ousou ao escalar Roberto no ataque ao lado de Robinho, já que o camisa 9 ainda busca a melhor forma física após passar longo tempo machucado. Ainda assim, ele mostrou muita movimentação e foi um dos responsáveis pelo toque de bola que envolveu o Tricolor.

Os primeiros 30 minutos foram todos do Leão, tanto que o primeiro chute a gol do São Paulo só veio aos 33 minutos, com Lucas. Antes disso, só o Avaí jogava. Com jogadores leves na frente, o time ganhava todas do rival em velocidade, principalmente por meio das rápidas inversões de bola que pegavam a zaga desprevenida. E ainda aproveitava os erros de passe do São Paulo para armar contra-ataques perigosos.

Em dois desses equívocos da equipe visitante, o Leão quase abriu o placar. Primeiro, Cléber Santana perdeu a bola na intermediária e, em apenas três toques, a bola já estava nos pés de Roberto, que chutou cruzado e exigiu grande defesa de Rogério Ceni, com os pés. Depois, foi a vez de Jéferson receber passe de calcanhar do próprio Roberto e acertar o travessão são-paulino.

Sergio Baresi optou por escalar Marlos em vez de Dagoberto e acabou deixando Ricardo Oliveira isolado no meio dos zagueiros. O meia, que deveria se aproximar mais de Ricardo, teve de buscar o jogo no meio de campo a todo momento, dificultando as investidas do Tricolor.

O panorama piorou para o São Paulo aos 38 minutos. Após ter sofrido falta não marcada pelo árbitro Alício Pena Júnior, Richarlyson protestou demais, xingou Alício e acabou levando o cartão vermelho. Com um a menos, o time passou o restante da etapa inicial apenas se defendendo.

Do outro lado, Edson dos Santos queria logo aproveitar a vantagem numérica. Tirou o zagueiro Émerson no intervalo e lançou o atacante Marcelinho. A tendência era que o Avaí fosse só pressão, mas Baresi colocou Carlinhos Paraíba e o meia soube segurar a bola na frente, com Ricardo Oliveira.

O panorama se voltou a favor do São Paulo, que, mesmo com dez em campo, conseguiu controlar bem o rival. O Avaí só chegou perto do gol uma vez, e em outro contra-ataque. Roberto recebeu passe da esquerda, invadiu a área, e Rogério teve dificuldades para defender. O Leão criou demais, mas sem finalizar com tanto perigo.

Baresi ainda tentou uma última cartada ao colocar Dagoberto. Pouco inspirado, porém, o camisa 25 não conseguiu dar mais dinâmica ao ataque tricolor. A jornada do atacante começou mal antes mesmo de ele entrar, já que levou cartão amarelo após discutir com o quarto árbitro. Mesmo assim, teve a última chance em um chute de longe aos 48, que exigiu difícil defesa de Zé Carlos. Sem gols e com muito frio, a torcida deixou a Ressacada vaiando não só o Avaí, mas o espetáculo abaixo da média promovido pelas duas equipes.

AVAÍ 0 X 0 SÃO PAULO
Zé Carlos, Patric, Gabriel, Émerson (Marcelinho) e Pará (Laércio); Bruno Silva, Diogo Orlando, Jéferson e Davi (Sandro Silva); Roberto e Robinho Rogério Ceni, Jean, Renato Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Cléber Santana (Zé Vitor), Jorge Wagner e Lucas (Dagoberto); Marlos (Carlinhos Paraíba) e Ricardo Oliveira
Técnico: Edson dos Santos Técnico: Sergio Baresi
Cartões amarelos: Robinho, Jéferson, Bruno Silva (AVA); Jorge Wagner, Carlinhos Paraíba, Dagoberto, Ricardo Oliveira (SPO). Cartão vermelho: Richarlyson (SPO)
Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC). Data: 2/10/2010. Árbitro:Alício Pena Júnior (MG). Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG)

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s