Borges reclama de falta de reconhecimento no Tricolor

Atacante afirma que ‘cansa’ tem que provar competência ano a ano. E lembra que time foi campeão sem Washington

Um dos destaques do São Paulo no último Campeonato Brasileiro, o atacante Borges deixa escapar irritação com o fato de precisar disputar posição no ataque tricolor. Após o jogo contra o Bragantino, na noite desta quarta-feira, em que foi substituído no segundo tempo por Dagoberto, o atacante disse estar cansado de ainda ter que provar a sua capacidade e lamenta o que considera falta de reconhecimento no clube.

– Acho que não tenho que provar mais nada. Em 2007, fui artilheiro da equipe. Em 2008, fui artilheiro da equipe. Vai ano e vem ano e ainda tenho que ficar provando. Isso até cansa. Se for artilheiro de novo este ano, ano que vem chega outro atacante e vou ter que provar de novo que posso jogar – afirmou em entrevista à “Rádio Jovem Pan”.

E até indicou que teria mais reconhecimento se atuasse em outro clube.

– Fico um pouco triste porque o reconhecimento sempre demora. Vários jogadores já me disseram que se eu fizesse em outro clube o que fiz no São Paulo, seria idolatrado – disse.

Diante do fato de Washington ter conquistado uma vaga de titular no início da temporada, Borges reconheceu que o companheiro iniciou bem o ano. Mas lembrou que o time foi campeão sem o ex-atacante do Fluminense.

– O São Paulo tem uma equipe que foi campeã e não tinha Washington. Era Dagoberto e Borges e merecemos mais respeito. Sempre que precisou, a gente apareceu. Lógico que ele começou bem, fazendo gol, mas o Dagoberto e o Borges vão brigar pela posição.

Sobre o rodízio adotado pelo treinador Muricy Ramalho neste início de temporada, Borges disse que gostaria de ter uma sequência de jogos. E admitiu até pedir ao treinador para ser escalado.

– Atacante precisa estar jogando. A melhor preparação para um jogador é estar em campo. Eu trabalho para ganhar uma sequência. O Muricy diz que o atleta não tem que falar muito, mas se puder, vou pedir para jogar.

Questionado sobre as declarações de Borges, Muricy Ramalho lembrou que a decisão sobre quem vai ser titular é sua responsabilidade.

– Ele tem que entender e respeitar. De resto, é um país livre e democrático. Se ele entende e respeita, o resto eu decido. Se ele joga ou não joga.

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s